sexta-feira, setembro 01, 2006

Líder: Carl Von Clausewitz

Num esforço paralelo e cego para produzir equipes de qualidade, podemos estar sacrificando o desenvolvimento de nossos líderes futuros e criando uma geração de suaves burocratas da qualidade centrados na política e nas dinâmicas de grupo. Faltaria a essas pessoas coragem pessoal, visão e habilidade para agir prontamente segundo as situações necessárias e de modo oportuno e definitivo consistentemente com o que fizeram os nossos maiores líderes no passado, como Carl Von Clausewitz. No passado emergiram líderes que tinham a sabedoria de ver e resolver problemas abstratos em um tempo mínimo. Hoje, corremos o perigo de ver grupos tarefa lutando com um problema simplesmente porque nossos líderes não estão preparados adequadamente para fazê-lo. Embora isso fosse esperado e aceitável em situações complexas, não deveria ser a regra.
Carl von Clausewitz ou Carl Phillip Gottlieb von Clausewitz (n.1 de junho de1780 – f. 16 de novembro de 1831). foi um general e estrategista militar prussiano (hoje parte da Alemanha). Foi diretor da Escola Militar de Berlim nos últimos treze anos de sua vida, período em que escreveu a sua obra Vom Kriege (Da Guerra), publicada postumamente. Ficou conhecida a sua frase em que ele define a associação entre guerra e política : “a guerra é a continuação da política por outros meios”. Seus ensinamentos escritos em sua obra chegam quase a se equiparar aos de Sun Tzu.
Von Clausewitz é considerado o mestre maior da arte da guerra. Sua lições de tática e estratégia vão, porém, além dos exercícios militares propriamente ditos, para se constituírem, inclusive, numa profunda reflexão sobre a filosofia da guerra e da paz Essa reflexão contém observações éticas que são válidas para a formação militar em todo tempo, mesmo na ocorrência do que, em nossos dias, veio a chamar-se de "guerra interna". Para Clausewitz, a destruição física do inimigo deixa de ser ética, quando ele pode ser desarmado em vez de morto. Clausewitz dirigiu a Escola Militar, tomou parte na batalha de Waterlooe morreu de cólera.
O General Ira Eaker indicou que um líder possui força de integridade, sabedoria e coragem, e que essas categorias apenas fornecem a ênfase que mantém alguém na trajetória adequada na vida. Carl Von Clausewitz também se ocupou dos atributos da liderança antes de delinear as qualidades em que consiste o gênio militar:
1. Coragem - tanto moral ("coragem para aceitar a responsabilidade" ) e física ("coragem em face de perigo pessoal").

2. Poder do intelecto ("a guerra... está envolta na neblina da incerteza maior ou menor. É necessária sensibilidade de julgamento e discriminação").
Dessas características Clausewitz destacou duas outras:
1 .Golpe de vista (a visão interna do "pronto-reconhecimento de uma verdade que a mente usualmente deixaria passar ou perceberia somente depois de um longo estudo e reflexão").
2. Determinação ("a capacidade de, tendo tomado uma decisão,se valer a pena, insistir nela").
Táticas de liderança usadas por
Carl Von Clausewitz:
(1) aderir continuamente ao desenvolvimento do esclarecimento interno ou golpe de vista em nós mesmos e nas pessoas à nossa volta;
(2) colocar eventualmente nossos subordinados em ambientes que exijam decisões complexas sob condições difíceis para que aprendam;
(3) usar a qualidade como apenas um outro auxílio intelectual para alcançar a sabedoria na jornada de toda a vida em direção ao domínio pessoal e à liderança apoiada nos valores;

Von Clausewitz, deveria, evidentemente, dedicar-se a desenvolver sinergistas que possuíssem golpe de vista e, assim, agissem como líderes transformacionais. As organizações (como os indivíduos) só aprendem e se desenvolvem devagar. Este processo exige liderança baseada em valores. Como em uma equipe de guerra, um líder, muitas vezes, só obterá o amadurecimento de sua equipe se, ocasionalmente houver catalisadores como medo, frustração e fadiga. Não podemos esquecer que a liderança se nutre da ênfase no combate.
Precisamos combater como treinamos. A infusão de técnicas explícitas baseadas na qualidade numa cultura de liderança, entretanto, pode não melhorar o modo como queremos lutar. Nossos futuros líderes deveriam estar aprendendo habilidades de pronta reação
O conhecimento profundo não acontece, nem se ensina rapidamente. Desenvolve-se ao longo do tempo como qualquer valor. Líderes instruídos no profundo conhecimento (qualquer que seja a sua forma), baseados em valores e instruídos na arte do golpe de vista, terão a oportunidade de transformar espetacularmente não apenas o governo, mas a guerra das futuras gerações. Se, entretanto, escolhermos a estrada da visão curta, estaremos condenados, porque "só os mortos conheceram o fim da guerra".

Fonte: http://www.airpower.au.af.mil/apjinternational/apj-p/ptitulos.html

Questão escolha simples:
Qual dessas características Carl Von Clausewitz destacava ser importante para que os líderes agissem como líderes transformacionais?
a. Coragem
b. Poder do intelecto
c. Golpe de vista
d. Determinação
Questão dissertativa:
Segundo Carl Von Clausewitz como uma equipe (de guerra ou não) pode atingir a maturidade?
Resposta esperada:
Além do conhecimento e da experiência, como em uma equipe de guerra, um líder, muitas vezes, só obterá o amadurecimento de sua equipe se, ocasionalmente houver catalisadores como medo, frustração e fadiga, esses fatores com o tempo farão com que os indivíduos adquiram golpe de vista o que possibilitará imediata reação frente a situações que exijam imediata reação. Por isso é importante colocar eventualmente nossos subordinados em ambientes que exijam decisões complexas sob condições difíceis para que aprendam a reagir.

Comments: Postar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?